Tipos de gráficos no ensino

O profissional da estatística se utiliza de gráficos pois eles se propõem a diferentes usos: exploração, descoberta, interpretação, diagnóstico, comunicação, apresentação, destaque, clareza, contar uma história.

Os gráficos são recursos visuais muito utilizados para facilitar a leitura e compreensão das informações e divulgação de pesquisas em jornais, revistas, panfletos, livros e televisão.

Tipos de gráficos com melhor função pedagógica

Os gráficos com melhor função pedagógica são os gráficos de colunas, barras e setores (pizza) pois são usados para mostrar como o todo se divide em partes, para apresentar proporções.

Independentemente do tipo do gráfico, todos os gráficos devem ter claramente indicados o seu título, o título do eixo das abscissas (horizontal) e do eixo das ordenadas (vertical), a legenda e a fonte dos dados da pesquisa.

Gráficos de colunas

 

O gráfico de colunas é composto por duas linhas ou eixos, um vertical e outro horizontal (lembra do Plano Cartesiano? Sempre utilizamos o primeiro quadrante do Plano Cartesiano).

No eixo horizontal, são construídas as colunas que representam a variação (medidas ou quantidades numéricas) dos dados na pesquisa realizada. O fluxo de informações, representado por um valor numérico, é indicado pelo eixo vertical.

Ou seja, no eixo vertical indicamos uma escala graduada de zero até o valor máximo que queremos representar e no eixo horizontal construímos colunas onde a altura de cada coluna informa o valor máximo pesquisado em cada item.

As colunas devem sempre possuir a mesma largura e a distância entre elas deve ser constante. Também podemos representar duas ou mais categorias de informações.

Exemplos:

 

Gráfico de barras

O gráfico de barras também é construído sobre o Plano Cartesiano (primeiro quadrante).

No eixo vertical, são construídas as barras que representam a variação (medidas ou quantidades numéricas) dos dados na pesquisa realizada. O fluxo de informações, representado por um valor numérico, é indicado pelo eixo horizontal.

As barras devem sempre possuir a mesma largura e a distância entre elas deve ser constante. Podemos representar duas ou mais categorias de informações.

Exemplos:

 

Gráfico de setor (ou circulares)

Recomendado para visualização de informações de apenas uma categoria, os gráficos de setores (ou pizza) são representados por círculos divididos proporcionalmente de acordo com os dados da informação a ser representada.

Os valores são expressos em números ou em percentuais (%). Não é recomendado o uso em três dimensões.

Exemplos:

 

 

Gráfico de linha

 

 

Utilizado quando se deseja trabalhar com duas ou mais informações provenientes de dados numéricos, o gráfico de linhas é composto por dois eixos, um vertical e outro horizontal (Plano Cartesiano – primeiro quadrante), e por uma ou mais linhas que mostram a variação (medidas ou quantidades numéricas) dos dados na pesquisa realizada, isto é, a movimentação dos dados no decorrer do tempo.

É indicado quando uma das variáveis representa o tempo e se pretende revelar o movimento dos dados ao longo do tempo.

Exemplos:

 

 

 

Dicas Para Analisar Gráficos Estatísticos

Quando for analisar um gráfico, procure observar os seguintes pontos:

  1. O título ou objetivo do gráfico é claro? Seu conteúdo faz sentido?
  2. A fonte dos dados está explícita no gráfico, na figura ou no texto que a acompanha?
  3. As informações foram obtidas de uma fonte confiável?
  4. Há rótulos adequados para os eixos, etc., deixando tudo bem identificado?
  5. Os eixos começam em zero ou não?
  6. As escalas dos eixos são constantes?
  7. Existem “quebras” nos eixos que sejam difíceis de notar?
  8. Existem elementos gráficos desnecessários ou que dificultem a visualização da informação?

  * Material construído com base no curso "Elaboração de gráficos e tabelas estatísticas", ministrado pelo professor Pedro Luis do Nascimento Silva, da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE.

 

Notas

PLANO CARTESIANO: Criado pelo francês René Descartes (1595-1650), filósofo, físico e matemático que viveu no início do Séc XVII, o Plano Cartesiano é constituído por dois eixos perpendiculares entre si que se encontram no ponto 0 (zero), chamado de origem. Os eixos são retas e a horizontal é chamada de eixo das abscissas e a reta vertical, eixo das ordenadas. O Plano Cartesiano divide um plano qualquer em quatro partes chamadas de quadrantes, que são contados no sentido anti-horário sendo o primeiro no lado direito superior do plano. (voltar ao texto)

GRÁFICOS EM TRÊS DIMENSÕES: Apesar de os gráficos em três dimensões apresentarem impacto visual, o uso desse recurso nos gráficos de barras, colunas e de setores não é indicado porque apenas duas dimensões representam informações pesquisadas. Nos gráficos de coluna e de barras em 3D, as informações são representadas no eixo horizontal e no eixo vertical. O eixo que indica a profundidade não representa informações da pesquisa. Já nos gráficos de setores, as informações da pesquisa são representadas nos arcos que compõem a circunferência enquanto que nos gráficos de setores em 3D, a altura não representa informação da pesquisa, além de estarem em perspectiva. (volta ao texto)