Matérias especiais

Indicadores sociais das mulheres no Brasil

Imagem de mulheres em diversas idades e funções: estudante, cientista, moça pensativa de terninho

Confira as principais informações sobre os temas abordados no estudo Estatísticas de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil, divulgado pelo IBGE em 7 de março de 2018:

Direitos humanos das mulheres e meninas

De uma forma geral, o caminho a ser percorrido em direção à igualdade de gênero, ou seja, em um cenário onde homens e mulheres gozem dos mesmos direitos e oportunidades em todas as dimensões aqui analisadas, ainda é longo para as mulheres e ainda mais tortuoso se esta for preta ou parda e residir fora dos centros urbanos das Regiões Sul e Sudeste.

Taxa de fecundidade das brasileiras de 15 a 19 anos de idade (2016): Região Norte 85,1 por mil; Região Nordeste 64,9 por mil; Centro-oeste 55,6 por mil; Sudeste 45,4 por mil; Sul 45,6 por mil

 

Educação

“O Brasil já superou o gargalo da educação, porque hoje as mulheres são mais escolarizadas do que os homens, mas isso ainda não está refletido no mercado de trabalho [...]. Ela está chegando mais escolarizada, então por que o rendimento ainda não está similar? Muito provavelmente ela está escolhendo ocupações que precisam de uma jornada de trabalho mais flexível porque ainda tem a carga de afazeres domésticos extremamente pesada.” (Bárbara Cobo – coordenadora de População e Indicadores Sociais do IBGE)

Brasileiros de 25 anos ou mais de idade com ensino superior completo (2016): homens brancos 20,7%; mulheres brancas 23,5%; homens pretos ou pardos 7,0%; mulheres pretas ou pardas 10,4% | Brasileiros no Ensino Médio adequados à faixa etária (2016): homens 63,2%; mulheres 73,5%

 

Saúde e serviços relacionados

No que tange à utilização de métodos contraceptivos, a Divisão de Estatísticas das Nações Unidas (United Nations Statistics Division - UNSD) indica que o pouco acesso à informação, o casamento precoce e a falta de poder de decisão das mulheres casadas ou em união expõem mulheres ao risco de contraírem doenças sexualmente transmissíveis, à gravidez indesejada e ao aborto inseguro.

Mulheres que tiveram consulta pré-natal com profissional de saúde (2013): 97,4% atendidas pelo menos 1 vez; 93,9% atendidas pelo menos 4 vezes

 

Estruturas econômicas, participação em atividades produtivas e acesso a recursos

“Você só resolve desigualdades no mercado de trabalho se tiver uma política integrada, por exemplo, de creche, porque a gente sabe que um dos maiores fatores para as mulheres saírem da escola ou do sistema formal escolar ou de emprego é você ter que cuidar de casa, afazeres domésticos.” (Bárbara Cobo – coordenadora de População e Indicadores Sociais do IBGE)

Horas semanais dedicadas aos cuidados de pessoas e/ou afazeres domésticos (Brasil - 2016): homens 10,5 horas; mulheres 18,1 horas | Rendimento habitual médio mensal (Brasil - 2016): mulheres R$ 1.764; homens R$ 2.306

Vida pública e tomada de decisão

Desde 1995, o Brasil possui legislação que prevê cotas eleitorais, reservando um percentual de candidaturas em eleições proporcionais para as mulheres. Contudo, apenas com a Lei nº 12.034, de 29/09/2009, essas cotas tornaram-se obrigatórias, de modo que, em eleições proporcionais, haja no mínimo 30% e no máximo 70% de candidaturas de cada sexo, para cada partido ou coligação partidária.

Representação política (2017): 10,5% dos assentos da câmara dos deputados no Brasil são ocupados por mulheres; 23,6% dos assentos no mundo são ocupados por mulheres | Cargos gerenciais (2016): 62,2% ocupados por homens; 37,8% ocupados por mulheres

Quer saber mais?

Enquanto responsável pelas estatísticas oficiais brasileiras, o IBGE, com a divulgação do estudo Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil, reforça a importância da produção de indicadores de gênero com um duplo objetivo: enriquecer o debate, proporcionando informações destacadas sobre o tema, e destacar a importância de se manter uma agenda pública permanente, que coloque a igualdade de gênero como um dos eixos estruturantes da formulação de políticas públicas no País.

Confira mais informações sobre estatísticas de gênero nos links a seguir:

Portal do IBGE Estatísticas de Gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil (boletim de divulgação do estudo, de onde vieram os trechos de texto e os infográficos publicados neste Especial)

Agência IBGE de Notícias ODS 5: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas (entrevista em que estão as falas da pesquisadora Bárbara Cobo citadas neste Especial)

Agência IBGE de Notícias Mulher estuda mais, trabalha mais e ganha menos do que o homem

Agência IBGE de Notícias No Dia da Mulher, estatísticas sobre trabalho mostram desigualdade

Agência IBGE de Notícias Estatísticas enriquecem debate sobre desigualdade de gênero

IBGEeduca Jovens Quantidade de homens e mulheres